top of page

Quer ter relacionamentos mais saudáveis? Comece pela comunicação!


Relacionamentos saudáveis, independentemente de sua natureza, requerem entendimento e conexão entre as partes envolvidas. Junto com respeito, empatia, ética, compromisso e outros aspectos, lá nos pilares das boas relações está a comunicação. Podemos inclusive considerá-la como o pontapé inicial para a construção de tudo isso.


Como anda sua capacidade de comunicação com familiares, colegas de trabalho, clientes, companheiro ou companheira? E com desconhecidos ou quando precisa se apresentar em público? Será que pode melhorar?


Vamos bater um papo sobre como a comunicação promove relações mais saudáveis no trabalho, na vida pessoal ou até mesmo em situações esporádicas, como um pitch no elevador. Acompanhe!


Relações saudáveis: o papel da comunicação


Comunicação e relacionamentos formam uma dupla inseparável, de modo que um pressupõe o outro, um é diretamente proporcional ao outro. Logo, comunicar-se (e bem) é indispensável quando o assunto é ter relações fluidas e saudáveis.


Dito isso, agora vamos explicar como a comunicação promove essas conexões e o que possibilita às pessoas. Continue sua leitura.


Ter real entendimento das mensagens recebidas


O processo comunicativo qualificado acontece quando entendemos corretamente as informações transmitidas por quem está dizendo. Essa compreensão plena é essencial para diálogos transparentes e eficazes e, por extensão, pauta relações mais claras e harmoniosas.


Expressar ideias com coerência e estratégia


Para além de uma oratória impecável, aprimorar a comunicação abrange a nossa habilidade de expor uma ideia de modo autêntico, coerente com o que queremos mesmo transmitir.


Ela nos permite gerenciar quais elementos de comunicação vamos explorar, qual tom de voz, quais argumentos e até mesmo controlar nossas emoções em cenários adversos. Nem precisamos dizer o quanto isso favorece as interações entre os mais diferentes perfis comunicativos, não é mesmo?


Criar conexões genuínas


A troca verdadeira, o real interesse em ouvir os outros e entrar em sintonia faz com que você tenha mais facilidade em se relacionar com todas as pessoas. Veja bem, não estamos falando de forçar a amizade, ok?! O ponto aqui é a qualidade da convivência, o clima dos ambientes dos quais fazemos parte. E, de acordo com a natureza da relação, tornar factível a existência de parceria e colaboração.


Por exemplo, entre um líder e um liderado, há muito mais chances quando esses dois indivíduos se entendem de fato. Isso se reflete em produtividade, resultados, engajamento e crescimento.


Fortalecer a confiança entre as pessoas


A etapa seguinte às conexões genuínas envolve estabelecer e nutrir a confiança entre as pessoas, que é um fator super-relevante para relações saudáveis e uma via de mão dupla. Ele faz diferença principalmente quando nos encontramos em cenários conturbados e repletos de ruídos, tais como fofocas, informações truncadas e conversas difíceis, ou quando precisamos dar aquele feedback sensível.


Alinhar expectativas


O diálogo tranquilo e assertivo é fundamental para assegurar um importante pilar das relações: o alinhamento de expectativas. Ou seja, é ter bem nítido o que todos os envolvidos desejam, esperam, precisam, podem e devem entregar. Tudo isso tem de ser compreensível a todas as pessoas relacionadas, e a receita infalível para esse alinhamento é dominar a comunicação.


Evitar e gerenciar conflitos


Esse aspecto é resultado da soma dos anteriores. Afinal, se todos os requisitos acima são atendidos, a chance de haver um conflito é bem baixa. Ótimo, e se mesmo assim nos depararmos com momentos de tensão e divergência?


Pode ter certeza de que, se já existe uma ponte em vez de um muro, o caminho até a solução se torna consideravelmente mais curto e as chances de contornar conflitos são muito maiores.


Na prática: dicas para melhorar a comunicação nos relacionamentos


Agora, vamos ver dicas para dar um upgrade na sua comunicação e colocá-la em prática nos seus relacionamentos. Confira e já comece a pensar em como implementar tudo isso no seu dia a dia.


Entenda como a outra pessoa se comunica


Se a ideia é fazer com que as pessoas compreendam o que você está expressando, e vice-versa, você vai precisar entender como é a lógica de comunicação delas. Isto é, qual o perfil comunicativo, qual o estilo de linguagem, qual o canal comunicativo predominante, entre outros fatores.


Assim, você conseguirá chegar direto ao ponto em sua fala, de uma maneira que faz mais sentido para quem recebe a mensagem e que facilita a decodificação das informações. Por exemplo, se você é uma pessoa pragmática e precisa demitir uma pessoa afável, precisará ajustar sua comunicação a uma linha de raciocínio afável, entregando mais detalhes, falando mais devagar e usando palavras mais suaves.


Se seu cliente ou seu companheiro não gosta de atender ligações telefônicas e você precisa entrar em conexão com ele, opte por outro canal, como WhatsApp ou e-mail.


Pratique a escuta ativa


Antes de ter uma oratória impecável, tenha uma escuta impecável. Voltamos a ressaltar a necessidade de tornar a escuta um hábito em todas as suas relações. Trata-se de escutar mesmo, com ouvidos e mente aberta a absorver o que seu interlocutor ou interlocutora está expressando, e não procurando brechas e falhas na fala da pessoa para retrucar.


Não há comunicação humanizada, estratégica e empática onde não há verdadeiramente uma escuta e disposição em entender o ponto de vista das pessoas.


Inspire, respire e responda depois


A nossa realidade é imediatista, isso é um fato. Quantas vezes interrompemos alguém, tivemos nossa fala interrompida, ficamos com a ansiedade lá em cima esperando uma resposta que definitivamente não tinha que ser imediata ou respondemos no calor da emoção?


Precisamos tomar as rédeas do nosso tempo e aceitar que, por múltiplas vezes, um conflito poderia ter sido evitado simplesmente por uma necessária pausa. Há ocasiões, problemas, questões e desafios em que precisamos respirar, interpretar com calma e, somente em seguida, responder.


Temos aqui no Blog da 2um um artigo que vai te ajudar bastante a lidar com a ansiedade pelas respostas (além de manter a etiqueta corporativa): “Comunicação Síncrona e Comunicação Assíncrona: saiba como usá-las assertivamente”. E outro sobre a importância de estabelecer uma pausa antes de emitir suas respostas: “Antes de Responder, Respire: inteligência emocional na comunicação”. Se ainda não leu, corre que vale a pena.


Saiba se posicionar


Bons relacionamentos não se formam necessariamente com a total concordância entre as partes. Pontos de vista distintos, divergências de opiniões e até os conflitos fazem parte das interações humanas, não tem como fugir.


Todavia, é possível posicionar-se de modo firme e respeitoso consigo e com as demais pessoas. Isso pode ser alcançado por meio da comunicação não violenta, por exemplo.


Aprenda a aceitar o posicionamento alheio


É comum vermos discussões sobre o quão importante é saber dizer não. Isso evita desgastes, ruídos e a famosa “torta de climão”, concorda? Agora reflita: quando é você recebendo o não, como lida com ele? Como usa sua comunicação nesse contexto?


Praticar a “escutatória” e só depois se manifestar vai contribuir profundamente para que seus relacionamentos amadureçam e se tornem reais fontes de troca e parceria.


A comunicação é base para a criação de relações mais autênticas, empáticas, promissoras e colaborativas. E, consequentemente, para ambientes mais harmoniosos e produtivos. Isso vale para todas as esferas da vida, e no mercado de trabalho é uma das soft skills mais valorizadas e mais requisitadas pelas organizações. Seja você da equipe de vendas, do atendimento, do RH, da alta gestão, do financeiro…


Portanto, aproveite as informações e as dicas que trouxemos para ampliar suas competências e ser uma pessoa (e profissional) que todo mundo quer ter como parte de seu time, que realmente entrega um diferencial por onde passa.


A 2um conta com soluções e treinamentos para desenvolvimento da comunicação, tendo como bases a assertividade, a humanização e a estratégia. Conheça mais sobre nós


Comments


bottom of page