top of page

5 dicas para comunicar uma demissão de forma humanizada


O momento de comunicar uma demissão não é fácil, nem para quem o faz e muito menos para quem recebe a decisão. Podemos até dizer que é uma das atribuições mais complexas para um líder. O fato é que, em diversos contextos da sua carreira como gestor, será necessário desligar um funcionário. Portanto, é importante aprender a lidar com isso da melhor maneira possível, a fim de ter um processo humanizado, assertivo e, sim, leve.


A comunicação é um dos recursos infalíveis para que tudo corra bem nessas situações de tensão, e vamos lhe mostrar como utilizá-la. Quer ficar por dentro? Então, continue a leitura.


Como comunicar uma demissão de forma empática?


Comunicar uma demissão precisa de planejamento, estratégia e empatia, como todas as demais atribuições de um líder. As cinco dicas que você verá a seguir são essenciais para a condução desse processo. Confira!


1. Tenha atenção às suas emoções


Somos humanos, temos nossas próprias visões de mundo e sentimentos em relação a tudo. Sentimentos esses que influenciam nossas decisões, nossa linguagem, nosso comportamento e outros fatores. Não é possível desligar essa função como se fôssemos um computador. Por outro lado, é preciso entender que, no ambiente profissional, as decisões nem sempre acompanham as emoções.


O que fazer, então? Aprender a lidar, a separar e a equilibrar suas emoções. Recorrer, portanto, à inteligência emocional, que não desconsidera sua humanidade e racionaliza os acontecimentos, com o intuito de tratar as situações adversas com objetividade e imparcialidade.


2. Preze a discrição


Jamais espalhe boatos de que uma pessoa vai ser desligada. O assunto é pertinente apenas para os gestores aos quais ela está vinculada e para o RH. A equipe deve saber depois do próprio colaborador. Além de ser extremamente desagradável e desrespeitoso, você corre o risco de tornar o processo mais delicado e de comprometer os relacionamentos no time.


Seguindo essa lógica, é preciso garantir que a demissão seja feita em particular. Nem precisamos dizer o quão antiético é fazer isso em público, expondo uma pessoa, não é mesmo?


3. Seja breve


Por mais que você se planeje e se organize para fazer uma demissão, é um acontecimento desagradável, que envolve muitas questões, como já conversamos. Então, a melhor opção é ser objetivo. Comunique o desligamento, explique as razões, informe o colaborador a respeito dos procedimentos e direitos. Pronto, isso é o suficiente.


Coloque-se disponível à escuta e pergunte se há alguma dúvida. Feito isso, lembre-se de agradecer à pessoa pelo seu tempo de dedicação à empresa. Esse é um gesto educado e respeitoso.


4. Deixe nítido o motivo do desligamento


Uma comunicação transparente é indispensável para demitir alguém de forma humanizada. É de bom tom nas relações de trabalho e contribui para o crescimento profissional do funcionário. É um direito moral do trabalhador saber ao certo o porquê de seu desligamento.


Já foi-se o tempo em que “você não corresponde mais ao perfil da empresa” ou “a empresa está passando por uma fase difícil” serviam como explicação. Se estamos buscando uma realidade ocupacional mais humana, ética e saudável, é preciso praticar isso em todas as etapas da jornada do funcionário, certo?


Em casos extremos, como a demissão por justa causa, é ainda mais necessário que tudo seja esclarecido e pontuado.


5. Contextualize a equipe


Dar ou não dar feedback para o time? Eis a questão. A nossa percepção é de que a transparência é bem-vinda nesse cenário também. Além de fazer parte de uma relação de parceria e confiança entre a equipe e o gestor, pode estar certo de que o fato será comentado. Não tem como evitar, não é mesmo? Sendo assim, é estratégico que as informações partam da liderança, sem interpretações equivocadas.


Sem contar que as pessoas estabelecem laços no ambiente de trabalho, e uma vez que a demissão é mal comunicada, pode afetar o engajamento e a produtividade dos outros funcionários. Vale a pena um diálogo breve, abordando apenas o necessário, sem expor quem foi embora.


Uma demissão tranquila começa na contratação


Fique tranquilo, que vamos explicar. A demissão de um colaborador está vinculada à contratação e à forma como ele é inserido no ambiente, treinado e acompanhado. Entra em cena o papel indispensável da liderança na construção da jornada do colaborador dentro da organização. Isso começa no recrutamento, quando é necessário ter clareza do que se espera do cargo e coerência na seleção da pessoa que vai ocupá-lo.


Já contratado o colaborador, significa que o gestor e a empresa precisam propiciar as condições necessárias para que ele chegue à sua melhor performance. Elementos como alinhamento de expectativas, transparência, feedbacks constantes, escuta ativa e oferta de treinamentos permitem que o funcionário saiba exatamente qual sua situação na empresa.


Por exemplo, se ao longo da jornada ele foi pontuado diversas vezes pelo mesmo comportamento, recebeu recursos para resolver a questão, teve trocas sinceras com o seu gestor e, mesmo assim, não houve resultado, possivelmente a demissão está a caminho.

Nesse caso, ela é parte de um ciclo que vai se encerrar de maneira até natural. Diferentemente de quando o gestor não age como líder, não há suporte da empresa e a demissão “cai de paraquedas” na mesa do colaborador.


Logo, o desenvolvimento e o aperfeiçoamento das habilidades e competências necessárias à liderança também fazem parte de um processo de demissão saudável e correto. Busque ao longo tempo se capacitar cada vez mais, ouça sua equipe, acompanhe o desempenho de cada membro e crie o hábito de dar feedbacks com frequência. Tudo isso deixará até mesmo a hora de uma possível demissão mais fluida.



Por fim, é imprescindível considerar o peso de um desligamento para o colaborador. Em geral, é do trabalho que ele tira seu sustento, certamente tem compromissos e planos para a carreira. Todo esse processo de comunicar uma demissão deve ser estruturado com responsabilidade técnica e humanística. Com essas dicas, você poderá se preparar melhor e terá mais tranquilidade para conduzir essa conversa difícil.


E para ficar expert, que tal fortalecer suas skills aperfeiçoando sua capacidade de comunicação? A 2um tem excelência no desenvolvimento da comunicação para liderança e convida você a conhecer nosso leque de treinamentos e consultoria.



Comentarios


bottom of page